Um dia frio. Toda fragilidade incide.

Campos do Jordão (SP)

Adoro o inverno. Não aquele frio que endurece os dedos e dá raiva de digitar. Gosto mesmo da sua nostalgia, delicadeza e até uma certa melancolia.

Esse clima é propício para as coisas que mais gosto. Chocolate, vinho, guloseimas, pés colados debaixo do edredom (não necessariamente nessa ordem rs).
E ainda combina com saudade. Aquela vontade de olhar pela janela e pensar em alguém (que nem precisa saber quem). Talvez nem seja uma pessoa. Saudade de uma época, de momentos bons que puxamos da memória só para curtir o clima de melancolia no ar.

Parece que no inverno todos os pecados (ao menos os mais brandos) são permitidos. Que venha a preguiça, de manhã, tarde ou noite! Quem consegue sair da cama com um frio desses?? Ou a gula, porque  temos motivo para tanta fome: o corpo precisa de energia para se aquecer, oras bolas… Até a inveja de quem mora no nordeste e está curtindo a praia uma hora dessas. Mesmo que eu não tenha vontade nenhuma de viver no calor constante, não mesmo. Afinal, adoro o inverno!